Postagens populares

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

SINOPSE DO FILME QUASE DEUSES

Hoje vi um filme muito interessante e que precisa ser comentado ou pelo menos ter uma nota a ser divulgada neste blog. O filme se chama “Quase Deuses” e foge a temática do blog do meu amigo Alexandre que trata da narrativa fantástica do mundo playba mundial. Na verdade este é um filme sobre humildade e reconhecimento.
O Dr. Vivien Thomas é um negro que começa a trabalhar em um laboratório médico com um cirurgião excêntrico, prepotente e arrogante, porém muito talentoso e perspicaz chamado Dr. Alfred Blalock. Em uma das primeiras cenas do filme há uma clara demonstração de como, nos anos 30, a política de segregação racial era muito determinante na sociedade americana. Os negros sentavam-se na parte detrás do ônibus, e assim era e foi durante muito tempo, infelizmente.
Dr. Vivien Thomas é um auxiliar de laboratório, porém, com o tempo mostra para o Dr. Dr. Alfred Blalock que não só é talentoso, mas imprescindível para o andamento de seus trabalhos acadêmicos. O que dá a entender no filme é que existe certa relação de dependência entre médico e auxiliar.
Tristemente, o Sr. Vivien Thomas nunca cursou uma faculdade de medicina, pois devido à crise dos anos 30, nos EUA e no mundo, seu dinheiro fora confiscado. O banco o qual suas economias estavam depositadas decretou falência como muitos outros naquela época.
Avançamos um pouco na narrativa e temos Vivien Thomas a trabalhar em um hospital de grande reconhecimento junto com seu mestre. Eles desenvolvem juntos, em parceria com a teoria de outra médica(esqueci o nome, lapso), uma técnica inovadora capaz de efetivar curas em doenças crônicas no sistema cardiorrespiratório.
Uma das conquistas foi conseguir operar uma criança de uma síndrome cunhada de “síndrome dos bebês azuis”. É claro que não sei dar detalhes de tal processo, mas eles conseguiram fazer com que a oxigenação do bebê fosse restabelecida completamente e a criança saiu da cirurgia a salvo.
Pois, não é que depois observamos o dr. Blalock receber todos os méritos e créditos enquanto que Vivian, o principal articulador da teoria, excelente técnico em laboratório, além de cirurgião, e quem descobriu, em conjunto com o médico, como se devia operacionalizar a cirurgia foi totalmente esquecido e encostado pelos recantos do hospital.
Em um hotel, já agraciado pelas entidades acadêmicas, dr. Blalock discursou e agradeceu a todos aqueles que tinham cooperado para aquele sucesso estrondoso, porém sem mencionar seu colega negro. Colega que inclusive para entrar no hospital tinha de bater seu ponto como um empregado de terceiro nível ou setor (no qual quase todos eram negros).
Mesmo com a traição e o fato de ter sido humilhado Dr. Thomas voltou ao hospital, conquistou seu emprego de volta e se tornou um dos maiores profissionais da instituição, recebeu o título de Honoris Causa e ainda foi consagrado com seu retrato no rol dos médicos mais talentosos e inovadores do hospital (merecido).
A cena final é muito interessantee comovente, mas não vou contar.
Enfim, o filme é uma lição de humanidade e humildade. Os dois médicos com seus erros e acertos foram fundamentais para que hoje a cirurgia cardíaca seja realizada em muitos países com muito sucesso. A estes talentosos médicos minha estima e admiração. Namaskar.

Nenhum comentário: